Alheios.

Eu consigo sentir se aproximando. Com todas as suas inevitáveis garras. Por mais que eu não seja o ferro, é irrefutável que eu esteja sendo puxada por algo que só pode ser explicado por um magnetismo inexplicavelmente atraente. Está se aproximando. Feito cobra que se esgueira da vista, impossibilitando prever seus próximos passos, pronta para dar o bote. Sempre estive presa, mas eles estão voltando.

Eu não posso lembrar, pois não consigo suportar. Nem mesmo pensar… Mas, de alguma forma, eu não preciso lembrar do que nunca se foi, ele faz ser lembrado.

Como foi que as coisas sairam do controle, se eu nunca o tive?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s